Butantan protocola na Anvisa pedido para realizar testes com a Butanvac

Instituto Butantan enviou na manhã desta sexta-feira (23) uma solicitação à Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) para início dos testes clínicos da vacina Butanvac contra a Covid-19 . O anúncio foi feito pelo vice-governador do estado de São Paulo, Rodrigo Garcia (DEM), no Palácio dos Bandeirantes.

Durante o anúncio, o governador João Doria (PSDB) usou as redes sociais para repercutir a divulgação do pedido e cobrar celeridade da agência reguladora na análise da solicitação.

“O Butantan protocolou hoje na Anvisa os estudos para realização das Fases 1 e 2 de testes da Butanvac, a 1ª vacina contra Covid-19 que não vai depender de insumos de outros países. Confiamos na agilidade do processo de aprovação pela Anvisa”, escreveu Doria.

Os estudos das fases 1 e 2 são realizados em um período de 20 semanas, mas o Butantan espera obter os resultados iniciais de análise a partir da décima primeira semana para, a partir disso, solicitar o uso emergencial junto à Anvisa.

A Anvisa tem 72 horas para analisar o pedido de testes clínicos. Segundo nota da agência, uma equipe técnica já iniciou a avaliação para dar seguimento a análise de autorização do estudo. “O prazo de análise da Anvisa é de 72h para pedidos de pesquisa clínica que tratem de Covid-19”, diz a nota.

 “É uma vacina que pode fazer diferença a partir do segundo semestre. Diferença para o Brasil e para outros países, porque nós temos uma grande capacidade produtiva”, afirmou Dimas Covas, diretor do Instituto Butantan

Em março, o instituto enviou um dossiê clínico à Anvisa com os resultados dos estudos das fases de pré-desenvolvimento da vacina. O instituto paulista garantiu que em breve iniciará a produção de doses do imunizante para que, entre os meses de junho e julho deste ano, sejam entregues pelo menos 40 milhões de doses ao Programa Nacional de Imunizações (PNI).

A Butanvac será a primeira vacina fabricada integralmente em território nacional, sem a necessidade de importação de insumos e matéria-prima.  

Melhora nos indicadores da pandemia em São Paulo

O estado de São Paulo registrou pela primeira vez em três meses queda concomitante nos números dos três principais indicadores pandêmicos: casos, internações e óbitos.

A maior que foi observada no número de óbitos em relação à semana anterior, com 23% de retração. Em segundo lugar, o indicador de novos casos de Covid-19 no estado teve queda de 14,4% e a número de pacientes internados reduziu em 6%.

A taxa de ocupação de leitos de Unidade de Terapia Intensiva (UTI) no estado sofreu retração de 11% em abril. No dia 1º deste mês, 92% dos leitos estavam ocupados; com a adoção das medidas restritivas, o índice caiu para 81% nesta sexta-feira (23).

“Esses dados nos trazem alento, esperança e reforçam que as medidas tomadas pelo Plano São Paulo, fazendo o faseamento vermelho, uma fase mais restritiva e agora uma fase de transição, mostram a responsabilidade que o governo do estado tem com a saúde e a proteção da vida”, afirmou Jean Gorinchteyn, secretário de Saúde do estado de São Paulo.

O governo paulista adotará mais uma medida de flexibilização no estado a partir de amanhã (24), quando o setor de serviços poderá retomar o atendimento presencial, com o cumprimento dos protocolos sanitários. A expectativa é que na sexta-feira (30) o plano seja revisto para a fase laranja do Plano São Paulo, caso os indicadores sigam as tendências de queda apresentadas até o momento.

Apoio aos municípios 

 Rodrigo Garcia informou que o governo estadual vai realizar o repasse de R$ 33 milhões aos municípios do estado de São Paulo, com o intuito de contribuir com o avanço da campanha de vacinação contra a Covid-19.

De acordo com o vice-governador, os recursos serão destinados à compra de insumos e ao pagamento das equipes de enfermagem responsáveis pela vacinação, bem como para a contratação de novos profissionais.

Fonte: CNN Brasil

Comentários