Doença Mão-Pé-Boca deixa pais apreensivos

 Doença Mão-Pé-Boca deixa pais apreensivos
Compartilhe esta notícia:
Digiqole ad

Noites em claro. Filhos sem comer. E muita preocupação. Isso foi o que a Luciana Cabral, mãe do Daniel, de 2 anos, e do Henrique, de 8, viveu nas últimas semanas. Os irmãos pegaram a temida síndrome do Mão-Pé-Boca. Caracterizada por deixar os pequenos com febre, indisposição e bolhas espalhadas por vários locais do corpo, a virose deixou Luciana angustiada.

Com o fim do isolamento social e o retorno das crianças à escola, muitos vírus comuns da infância voltaram a circular com mais frequência. A pediatra  Normeide Pedreira dos Santos, membro da Sociedade Brasileira de Pediatria, explica que a transmissão da doença é por via respiratória e pelas fezes. A médica conta que, em caso de contágio, é preciso que o paciente fique mais isolado e não tenha contato com outras crianças.

Dra. Normeide destaca, ainda, que a doença não tem tratamento específico. A orientação é tratar os sintomas, com analgésico e antitérmico, além de manter a criança em repouso e bem hidratada. A pediatra explica que, apesar de causar muito mal-estar, a síndrome, na maioria das vezes, evolui sem gravidade e sem deixar sequelas.

Ainda não há vacina para a prevenção da doença. Então, a recomendação é manter os cuidados normais de higiene para prevenir o contágio, como lavar as mãos, cobrir nariz e boca ao tossir e evitar compartilhar objetos e utensílios pessoais. O ciclo da doença é de 7 a 10 dias e todo tratamento deve ser prescrito por um médico especialista. 

Fonte: Radioagencia Nacional

Digiqole ad

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

%d blogueiros gostam disto: