HUCF adquire equipamento para o tratamento de hemodiálise contínua de pacientes com Insuficiência Renal Aguda

O Hospital Universitário Clemente de Faria (HUCF), vinculado à Universidade Estadual de Montes Claros (Unimontes), ampliou o seu parque tecnológico e passou a oferecer mais um importante serviço à saúde da população. O HUCF adquiriu um equipamento para hemodiálise contínua em pacientes com Insuficiência Renal Aguda (IRA) pelo sistema PrismaFlex.
O aparelho reforça também a estrutura do hospital no atendimento aos pacientes COVID-19.

Avaliado em R$ 100 mil, o equipamento foi adquirido pela atual gestão do HUCF em sistema de comodato, com recursos do Governo do Estado, viabilizados por meio de emenda parlamentar da deputada estadual Leninha (PT).

Foram realizados no Hospital Universitário treinamentos teóricos e práticos, que permitiram que os profissionais do Centro de Tratamento Intensivo (CTI) Adulto e CTI COVID-19 pudessem aprender sobre as terapias agudas de diálise contínua em pacientes com Insuficiência Renal Aguda.

A enfermeira Aline de Azevedo Sampaio, especializada em Nefrologia e consultora técnica do equipamento Prismaflex, pela empresa Biomig Brasil, realizou os treinamentos das equipes do HUCF. Ela ressalta a importância da aquisição deste equipamento de última geração para o tratamento de pacientes com COVID-19.

“A terapia de diálise contínua é indicada para pacientes instáveis hemodinamicamente que evoluem com IRA e estão internados na terapia intensiva. A diálise contínua está sendo muito utilizada no mundo para o tratamento de pacientes acometidos com a COVID-19 e que evoluem com IRA. O equipamento também realiza plasmaférese (troca terapêutica do plasma)”, explica a profissional de saúde.

A consultora técnica conta que a terapia tem a duração de 72 horas no mesmo paciente, proporciona fluxos sanguíneos e retirada de fluidos de maneira lenta. Isso evita que o paciente desestabilize durante a sessão.

“Até então o HUCF não contava com essa tecnologia e possuía apenas equipamento para realização de diálise convencional ou intermitente. Com a aquisição desta tecnologia de ponta, o hospital entra como uma das referências na região neste tipo de procedimento”, pondera Aline de Azevedo.

Luciano Oliveira Marques, enfermeiro do CTI Adulto do HUCF, organizou o treinamento e participou do processo de implantação da diálise contínua na instituição. Ele explica os processos que levaram a aquisição deste aparelho.

“Antes, tínhamos limitação de terapia renal substitutiva para os pacientes que apresentavam condições clínicas de lesão renal aguda ou crônica e que se encontravam em estado grave com instabilidade hemodinâmica. O equipamento veio para permitir a realização de hemodiálise em pacientes instáveis em uso de altas doses de aminas, auxiliando na melhora do quadro clínico, uma vez que permite a retirada de maneira gradual e lenta, sem alterações osmóticas rápidas, com pouca interferência no estado hemodinâmico do paciente durante a terapia dialítica”, afirma Luciano Oliveira.

O nefrologista Divino Urias Mendonça, médico respeitado na área, acredita que o HUCF deu um grande passo na melhoria assistencial dos pacientes renais.

“O sistema PrismaFlex permite um tempo maior de implantação nos pacientes instáveis de 24 a 72 horas. Sua ação é mais efetiva, pois provoca menos complicações como hemorragias, como as vezes acontecem em outras situações. Na área da Nefrologia, este sistema permite fazer um procedimento que vai além da diálise, que é a plasmaférese (troca terapêutica do plasma). Este tratamento está cada vez mais em uso, principalmente em pacientes especiais”, relata Divino Urias.

“Para o Hospital Universitário, foi uma importância enorme a aquisição deste equipamento. Acredito que demos um salto importante em tecnologia e assistência”, finaliza o especialista.

Fonte: ASCOM Unimontes

Comentários




 

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui