PCMG conclui investigação de roubo e extorsão em Pedra Azul

A Polícia Civil de Minas Gerais (PCMG) concluiu o inquérito policial que apurou a prática dos crimes de roubo e extorsão ocorridos no dia 27 de fevereiro, em Pedra Azul, na região do Jequitinhonha. Ao todo, nove suspeitos foram indiciados, sendo: cinco homens, com idades entre 24 e 38 anos, pela prática dos crimes de roubo, extorsão e associação criminosa armada. De acordo com a investigação, quatro deles participaram diretamente da execução do crime e um auxiliou com levantamento de informações a respeito das vítimas. Outros três homens, com idades entre 27 a 40 anos, e uma mulher, de 20 anos, foram indiciados pela prática do crime de receptação.

A PCMG representou pela prorrogação da prisão temporária dos indiciados pela prática dos crimes de roubo, extorsão e associação criminosa armada, que foi deferida pelo Juízo da Comarca de Pedra Azul, após manifestação favorável do Ministério Público, pela decretação da prisão preventiva com a conclusão do inquérito policial.

As investigações, que duraram quatro meses, culminaram na desarticulação da associação criminosa formada pelos indiciados, que vinham praticando uma série de crimes de roubo na cidade de Pedra Azul.

Operação Chaziz

Após três meses de investigação, no dia 27 de maio, a PCMG deflagrou a operação Chaziz para cumprimento de sete mandados de prisão temporária e 20 de busca e apreensão em desfavor dos investigados nos municípios de Pedra Azul, Almenara (povoado de Pedra Grande), Divisa Alegre, Águas Vermelhas, Cachoeira de Pajeú (povoados de São Francisco e Cariri), Jequitinhonha (povoado de Estiva) e Medina.

Todos os sete mandados de prisão temporária foram cumpridos. Um dos alvos já se encontrava preso pelo envolvimento em um roubo de veículo ocorrido no mês de abril em Pedra Azul. As buscas e apreensões resultaram ainda em três prisões em flagrante. Dois homens, de Águas Vermelhas, que são irmãos, estavam na posse de dois aparelhos celulares subtraídos, os quais foram recuperados.

O outro homem e a mulher, um casal de Pedra Azul, ficaram na posse das joias e semijoias subtraídas. O homem possui uma loja de compra e venda de eletrônicos e ouro usado na cidade. A mulher, sua esposa, chegou a fazer postagens em redes sociais ostentando as joias e semijoias subtraídas, tendo sido recuperada parte delas.

Outros dois aparelhos celulares subtraídos das vítimas foram recuperados em Vitória da Conquista (BA). Um homem que estava na posse de um dos aparelhos celulares foi localizado e preso em flagrante em ação conjunta realizada pela PCMG e a Polícia Civil da Bahia (PCBA), no dia 31 de maio. O outro aparelho celular foi entregue nessa semana à PCBA pelo homem que estava na sua posse.

O crime

No dia crime, a vítima foi abordada pelos suspeitos retornando em uma motocicleta de sua fazenda, que fica na zona rural de Pedra Azul. Os indivíduos o levaram para uma área de mata e lá exigiram que ligasse para sua esposa, pedindo a esta que levasse todo o dinheiro que conseguisse. A esposa e sua filha se dirigiram para o local em que a vítima disse que as estava esperando, levando expressiva quantia em dinheiro.

Nesse intervalo, outra família que passava pelo local foi abordada pelos investigados e levada para o mesmo local onde estava a primeira vítima, mas essa conseguiu se soltar e fugir.

Quando mãe e filha chegaram, acompanhadas de outro familiar em uma motocicleta, os suspeitos os abordaram e subtraíram todo o dinheiro e as joias, bem como os aparelhos celulares e as motocicletas, fugindo em seguida, levando mãe e filha reféns no próprio carro. Depois de algumas horas circulando com as vítimas, os suspeitos as liberaram juntamente com o veículo na altura do km 34 da rodovia BR 116, no povoado Águas Altas, popularmente conhecido como “São Francisco”, em Cachoeira de Pajeú.

Fonte: ASCOM PCMG

Comentários




 

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui