Recife investiga surto de lesões na pele que provocam coceira

 Recife investiga surto de lesões na pele que provocam coceira
Compartilhe esta notícia:
Digiqole ad

Um surto de lesões na pele que, na maioria das vezes, surgem no tronco e nos braços e coçam muito ocorre no Recife, capital de Pernambuco. Até o momento, a secretaria de Saúde local não confirmou qual tipo de doença é. Pelo menos 149 pessoas já foram contaminadas, em seis cidades da região metropolitana do Recife.

A prefeitura da capital trabalha junto com o governo de Pernambuco e o Instituto Aggeu Magalhães na investigação das causas desse surto. São realizados exames laboratoriais, de pele e captura de possíveis fontes da doença, como mosquitos e ácaros.

O chefe da triagem de doenças infecciosas do Hospital Universitário Oswaldo Cruz, da Universidade de Pernambuco, o infectologista Felipe Proasca, descreve esse trabalho de investigação.

“Nesse primeiro momento, estamos fazendo investigação tanto das lesões, para investigação de fungos, parasitas e bactérias, como também de exames de sangue para tentar identificar alguns perfis que não seriam identificadas no exame superficial. Então essa investigação vem sendo realizada e até o momento, nós não tivemos isolamento de nenhum agente”.

Como há indícios de que a doença é transmissível, também são recomendados o isolamento e que as pessoas evitem compartilhar roupas e objetos.

Apesar do grande número de casos em pouco tempo, o infectologista Felipe Proasca diz que não houve nenhum agravamento do quadro daqueles que contraíram as lesões cutâneas.

“Alguns pacientes fizeram tratamento específico para escabiose, outros fizeram tratamento para diminuir o processo inflamatório, mas ainda não temos uma definição de um tratamento que seja curativo. A ideia atual é fazer medicações para diminuir os sintomas (…) são ações que, na grande maioria, são autolimitadas: você tem o início do quadro e a melhora com médico, sem médico, apesar do médico”.

Entre as possíveis causas para esse surto de lesões de pele em moradores da região metropolitana do Recife estão a sarna humana, reações alérgicas ou desequilíbrios ambientais provocados por questões como água e proximidade com áreas de mata. Já a relação com doenças transmitidas pelo mosquito da dengue, é uma possibilidade remota.

Fonte: Radioagencia Nacional

Digiqole ad

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

%d blogueiros gostam disto: