Unimontes e parceiros entregam donativos em comunidade quilombola e assentamento no Vale do Jequitinhonha

Além de se tornarem campo de pesquisas e de estudos desenvolvidos em temáticas associadas às Ciências Biológicas e da Saúde, Ciências Políticas, História e à Geografia, as comunidades de povos tradicionais da área de abrangência da Universidade Estadual de Montes Claros contam, também, com o suporte dos trabalhos da instituição e de parceiros do ponto de vista social.

Em tempos de pandemia por causa do Novo Coronavírus, a ação mais recente neste sentido foi realizada no último sábado (24/4), na comunidade de Quartel do Indaiá. O local é reconhecido oficialmente como território quilombola do distrito de São João da Chapada, no município de Diamantina (Vale do Jequitinhonha), distante cerca de 250 quilômetros do campus-sede. O atendimento foi estendido, ainda, a um assentamento já na área urbana de Diamantina, que conta com 230 famílias sem moradia definitiva.

Datado do século XVIII como área de remanescente de escravos que viviam principalmente do garimpo, o Quartel do Indaiá recebeu a visita dos coordenadores do projeto “Unimontes Solidária” (vinculado à Pró-Reitoria de Extensão/PREx), professores Gilson Fróes e Marcelo Rezende. Eles estiveram acompanhados pelo responsável pelo projeto de reciclagem “Amor e Vida” (Montes Claros), pastor Josmar Xavier dos Santos, parceiro da Universidade na Rede Solidária e que esteve à frente de uma campanha de arrecadação de donativos.

A escolha do local foi criteriosa. A população de 28 famílias convive com uma série de restrições em serviços básicos como acesso à energia elétrica, saneamento básico e atendimento na área da saúde. Além disso, há restrição com os meios de transporte diante da dificuldade de acesso por causa da má conservação da estrada.

DONATIVOS

A partir da Rede Solidária, que conta com a participação do programa “Mesa Brasil” (SESC), Ministério Público de Minas Gerais (MPMG) e diversos parceiros, da qual a Unimontes participa com o suporte de pessoal, transporte e logística, foram arrecadadas centenas de quilos donativos como cestas básicas, fardos de arroz e feijão, frutas, verduras e legumes – além de roupas.

“O trabalho da rede tem sido abrangente no suporte às pessoas que realmente precisam de maior atenção nesta pandemia. E, a partir do contato que o pastor Josmar recebeu nas últimas semanas, fomos informados sobre a situação de carência de diversas famílias nestes locais e detectamos a necessidade em ajudar tanto a comunidade do Quartel do Indaiá como o assentamento de pessoas sem moradia em Diamantina”, explica o professor Gílson, da Coordenação de Projetos Especiais, da PREx/Unimontes.

Além da entrega dos donativos, a Universidade assumiu o compromisso para que, tão logo seja controlada esta situação da Covid-19 (com a imunização em massa nas ações governamentais), o projeto Unimontes Solidária realizará uma ação completa de assistência às famílias destes locais, sob orientação dos pró-reitores de Extensão, Paulo Eduardo Gomes de Barros e Valéria Daiane Soares Rodrigues (adjunta). “Vamos levar a essência do projeto para estas comunidades, com a participação dos acadêmicos voluntários nos diversos atendimentos na área social, de saúde, educação, direito e cidadania, meio ambiente e história”, completa o professor Marcelo Resende, da Coordenadoria de Apoio ao Estudante (CAE/PREx).

Fonte: ASCOM Unimontes

Comentários